“Cheguei a sofrer três overdoses”

Com 22 anos apenas, Samira já tem uma pesada história de vida para contar, repleta tristeza, agressividade, prostituição dependência e quase perda de vida

Samira envolveu-se durante 5 anos com a “família” errada. Esta “família” representava o grupo de amigos que bebiam e usavam drogas juntos. O consumo de haxixe, cocaína, LSD, álcool e lança perfume era constante, tanto que ela se tornou a líder do grupo.
A oscilar entre a depressão e a agressividade, Samira ficou dos 15 aos 20 anos nas drogas, chegou a sofrer três overdoses e, como a própria relata, perdeu até o medo da morte. Ela sentia-se a “super-mulher” com a cocaína, mas bateu no fundo quando se prostituiu por seis doses. “Eu estava deprimida, chorava e cortava os pulsos, tinha muitas dores no corpo, e não suportava relacionar-me com a minha família”, conta. O vício afastou-a dos estudos, da família e, na terceira overdose, quase perdeu a vida.

TRANSFORMADA. A mãe da Samira, aconselhada pela cabeleireira, frequentou o Tratamento durante quatro semanas antes da última overdose da filha, que finalmente optou por acompanhá-la. Ela foi liberta no primeiro encontro. Frequentou o Tratamento por cinco meses e recebeu o Espírito Santo. Em sete meses tornou-se obreira.
Samira afirma que o Tratamento não só a curou dos vícios, mas também curou a sua alma. “Sermos curados é importante, mas é preciso ter uma comunhão com Deus. Eu investi todas as minhas forças no meu lado espiritual.”
Hoje, curada há 2 anos e 10 meses, Samira estuda, trabalha e quer recuperar o tempo perdido.


Samira Serafim
,Universal Brasil

Fonte: Folha de Portugal