Diagnosticada com um tumor

Embora se descrevesse como “uma pessoa que tinha tudo para dar certo”, Elizabeth deparou-se com acontecimentos na sua vida que lhe vieram a demonstrar que, de um momento para o outro, tudo pode acontecer.

“O meu pai era um excelente profissional, prestes a ser promovido a um cargo de chefe e a minha mãe era técnica auxiliar de farmácia.

Porém, tudo o que eles tinham conquistado, como o terreno, a vivenda, os carros e um barco de pesca… acabaram por perder.

Mas, o pior de tudo foi a separação deles, que teve repercussões ao ponto de o meu pai viajar para os Estados Unidos e passar a viver lá”, relembra.

PERCURSO DIFÍCIL.
“A minha mãe acabou por ficar sozinha, comigo e mais dois irmãos pequenos. Porém, toda essa situação acabou por criar em mim grandes traumas, tristezas e pessimismo. Continuei os estudos, entrei para a faculdade, mas, no 3º ano do curso de Direito, quis desistir, porque comecei a sentir dificuldades em continuar devido a uma depressão. Por mais que estudasse, não conseguia ter resultados positivos nos exames.

E, como se não bastasse tantos problemas, foi-me diagnosticado um tumor entre o pescoço e o ombro do lado direito. Fui submetida a uma intervenção cirúrgica e, derivado a essa cirurgia, sofri uma lesão grave que me deixou paralisada do braço direito, passando a depender da ajuda de familiares para tudo”, conta Elizabeth a pior fase da sua vida.

LIBERTA E CURADA. Entretanto, nem tudo teria que ser negativo na vida da jovem. “Através de uma amiga, conheci o poder de Deus na Igreja Universal.

Fui aprendendo a fazer uso da Fé inteligente, a qual me libertou de todos os traumas, das tristezas, do pessimismo e da depressão.

Voltei a recuperar os movimentos do braço direito e, oncologicamente, estou curada. Terminei o curso de Direito e candidatei-me, em 2016, para a ordem dos Advogados, em Lisboa. Hoje, finalmente, posso afirmar que sou feliz”, conclui.

Elizabeth Semedo, Universal Império

Fonte: Folha de Portugal