“Recorri a videntes, astrólogos, médiuns… mas a minha vida não mudava”

O sofrimento de Rosália começou quando ela ainda era criança, altura em que já evidenciava um medo atroz pelo escuro

“Costumava ouvir barulhos estranhos e via cobras espalhadas pelo quarto. Sendo a segunda mais velha de cinco irmãos, bem cedo me incutiram o sentido da responsabilidade, a qual recaía sobre mim na realização de trabalhos domésticos que não eram para a minha idade. Devido à indiferença que sentia à minha volta ainda na infância, o suicídio começou a perpassar na minha mente.”

SEM SOLUÇÃO. “Infelizmente, depois de casar, os meus problemas aumentaram. Primeiro, foi o meu marido que adoeceu e, em seguida, comecei a ouvir a voz de uma cunhada que já tinha falecido e a quem nunca conhecera, a chamar por mim.

Como um íman que atrai, assim era eu em relação aos problemas e azares na vida. Sofri um atropelamento, em consequência do qual fui operada e, além de ficar impossibilitada de me locomover, trabalhar, cuidar da casa e do esposo, fiquei com problemas na coluna e nos ossos. Entretanto, a minha barriga começou a aumentar de volume, parecendo estar grávida.”

TESTEMUNHO SALVADOR. “Percorri vários médicos, realizei vários exames sem, contudo, encontrar explicação para o meu problema. Frustrada e em busca da solução para o suplício no qual me encontrava, recorri a videntes, astrólogos, médiuns… mas a minha vida não mudava. Até ao momento em que li um testemunho de uma pessoa que frequentava a Universal.

Dirigi-me à Igreja e fui orientada a fazer uma corrente de libertação. Foi, então, que Jesus me libertou de todo o mal que me oprimia e me obrigava a levar uma vida de sofrimento. Hoje, sou muito feliz e o vazio que existia na minha alma foi preenchido com o amor de Deus.”

Rosália Gonçalves, Universal Cacém

Fonte: Folha de Portugal