Notícia

Ações sociais da Universal atendem 11 milhões no mundo

Internacional, Notícias |

Programas sociais realizados pela Igreja Universal amparam cerca de 5% da população brasileira. Um balanço divulgado pela Igreja Universal apontou que em 2017 os programas sociais ajudaram 9 milhões de pessoas apenas no Brasil.

Contando com o trabalho que se estende por 82 países, esse número alcança 11.127.500 pessoas ao redor do planeta. São idosos, jovens, pessoas abaixo da linha da pobreza, dependentes químicos, outros viciados e presos que têm suas rotinas alteradas e melhoradas pelas ações da Universal.

Os 274.854 voluntários da Igreja prestaram auxílio nos cinco continentes a uma população de vulneráveis que incluem ainda mulheres vítimas de violência e abusos e adolescentes que cumprem medida socioeducativa.

Um dos programas mais efetivos é o Anjos da Madrugada, que desde 1980 reduz as aflições diárias da população de rua, problema crônico nas grandes cidades. Em 2017, o grupo Anjos da Madrugada atendeu 26 mil moradores de rua, oferecendo alimentos, roupas e cobertores.

O grupo ofereceu cursos de ensino profissionalizante para as pessoas de rua, que mais que uma ajuda imediata, ganharam um futuro. Os cursos aplicados a 600 moradores de rua em diversas cidades brasileiras foram de corte e costura, aulas de informática, de pintura, eletricista predial, telefonista, culinária, operador de caixa, digitação e telemarketing. Em novembro do ano passado, 235 pessoas que viviam em situação de rua se formaram e 105 já estão trabalhando com carteira assinada. A ação contou com a parceria de empresas públicas e privadas.

Já os voluntários do programa social A Gente da Comunidade visitam bairros carentes e, em 2017, levaram a 1 milhão de pessoas atendimento médico, jurídico, psicológico e de estética. O grupo também doa roupas e cestas básicas.

Os programas dos voluntários da Universal nos presídios (UNP) e da Universal na Fundação Casa Brasil levam conforto a unidades prisionais e socioeducativas. Mais de 500 mil detentos, 27 mil menores apreendidos e seus familiares, além de carcereiros e demais funcionários recebem ajuda dos grupos que atuam nos presídios.

Esses grupos oferecem cursos profissionalizantes, atendimento médico, odontológico e jurídico, cafés da manhã na porta das unidades para os familiares que visitam os encarcerados e fornecem cestas básicas, livros e informativos, num bem-sucedido projeto de ressocialização. Quando deixam os sistemas prisionais, eles conseguem se reintegrar com mais facilidade com o conhecimento que veio dos cursos, palestras e reuniões. O trabalho permite um reincício com mais segurança.

Ajuda a qualquer idade

O trabalho da Universal atinge sem distinção jovens e idosos. Os voluntários da Força Jovem Universal (FJU) e Calebe desenvolvem ações de educação e cidadania. São palestras, cursos, eventos esportivos, de música e dança, que abordam temas delicados como consumo de drogas, automutilação, direitos da terceira idade, saúde.

A FJU atendeu mais de 3 milhões de jovens no ano passado e o Calebe auxiliou 2 milhões de idosos abandonados pela família.

Em 2017, 350 mil dependentes químicos ou envolvidos com outros vícios encontraram uma nova chance auxiliado pelo grupo o Vício Tem Cura. O trabalho é desenvolvido em reuniões abertas e individuais, em palestras e caravanas, recuperando os viciados e orientando seus familiares.

Já as 29 mil mulheres que sofreram algum tipo de violência doméstica ou abuso e buscaram assistência no Raabe, receberam do programa social palestras e cursos que resgatam e fortalecem a autoestima da mulher.

Ao longo de 2017, os dez programas sociais mantidos pela Igreja Universal realizaram 175.765 eventos, doaram 721.946 peças de roupas, 215.056 cestas básicas, 1.738.145 refeições, 597.281 livros e 2.901.378 informativos, no Brasil e exterior. Veja os números no quadro abaixo.

 

Fonte: R7

Deixe o seu comentário

Ou preencha o formulário abaixo.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *