O perigo de ouvir a voz do coração

Um estudo realizado na Universidade Purdue, em Indiana, nos Estados Unidos, estimulou os voluntários a relembrarem fatos vivenciados nos últimos 5 anos. Segundo os pesquisadores, as lembranças de dores emocionais são muito mais vívidas e sobrevivem mais tempo na memória do que a dor física.

Se as dores emocionais são as que mais machucam, e também as que mais persistem, elas, muitas vezes, nos impedem de seguir em frente para alcançarmos nossos objetivos.

Mas Deus é Espírito e Se comunica conosco pelo intelecto, que é a razão; por isso, ou nos entregamos às decepções, raivas e angústias que o mundo oferece todos os dias, ou temos a certeza (ou seja, usamos o raciocínio) de que vamos nos erguer, mesmo diante da dor e das incertezas.

E é exatamente o que algumas canções nos proporcionam. Desde pequenos somos atraídos pelos sons e gostamos de desenvolvê-los. Algumas pesquisas já revelaram o impacto que a música exerce no sistema nervoso, afetando processos como a frequência cardíaca, a respiração, a pressão sanguínea, a digestão, o equilíbrio hormonal, o humor e até as atitudes.

Por isso, é preciso estar atento ao que ouvimos, pois, muitas músicas levam às pessoas a serem emotivas e ouvirem a voz do coração. Durante uma das transmissões da Palavra Amiga, o Bispo Edir Macedo falou a respeito do tema.

“O coração é fonte de emoção e sentimentos, e nos leva a atitudes contrárias à fé. Há músicas que falam que devemos seguir a voz do coração, e é exatamente essa voz que leva as pessoas à destruição, ao suicídio, à morte. Mas, se usarmos a fé com inteligência, nos sustentaremos na Palavra e, então, venceremos”, disse o Bispo.

Veja a mensagem completa abaixo:

Palavra Amiga – 19/06/18

Gepostet von Bispo Edir Macedo am Dienstag, 19. Juni 2018

Se você deseja ouvir a voz da fé, procure uma Universal mais próxima de sua casa e participe de uma reunião. Clique aqui e encontre a morada.

Fonte: Universal

2018-07-10T09:42:29+00:00